sexta-feira, dezembro 05, 2014

A Lama que vai além da Praia - PARTE II





O Dr. Norton Gianuca é Pesquisador da Universidade Federal de Rio Grande,
foi Secretário Municipal de Meio Ambiente. 
Seus trabalhos e pesquisas são conhecidos Internacionalmente.




A Lama que vai além da Praia




A Lama se amontoa em Rio Grande... 
Até aí, nenhuma novidade.


Mas ela verte além da Praia do Cassino...


Ela verte num mar de omissão, silêncio e cinismo oriundo da grande maioria dos meios de comunicação, onde os de maior peso e impacto, atualmente "comem na mão" das esferas de Poder, seja em laços interligados entre gabinetes e editorias, seja em laços atados em publicações legais conquistadas através de Licitação Pública que, coincidentemente - ora vejam só! - beneficiou um meio de comunicação que era abertamente simpático ao atual chefe do executivo e seu partido, que também por coincidência, é da mesma Organização que gere o Porto de Rio Grande.
Quanta coincidência! 


Mas tudo bem...
Eu também acredito em Sorte, Competência e "melhor preço"; principalmente no Brasil, este país tão sério! Também acredito em Papai Noel.
Só não acredito
 no escândalo da Petrobras. Sou mesmo um otário!


Tão otário, que já acreditei até mesmo na UNIÃO DAS MÍDIAS INDEPENDENTES neste Vilarejo.
Aliás, eu cheguei a acreditar em Independência...






Mas o fato é que a Lama se amontoa, verte, cheira mal e já causa um dano ambiental imenso, bem maior do que o dano ao patrimônio da informação, já que este parece que foi sepultado nesta cidade depois que elegeu-se a Santíssima Trindade de DILMA-TARSO-ALEXANDRE.
Os intocáveis, incriticáveis, inatingíveis!


A cada vez que leio no jornal ou ouço na TV a frase "Um estudo será realizado para descobrir as razões da lama", minha vontade, sinceramente, é mandar literalmente - fora do sentido figurado -  algumas pessoas para o inferno, diretamente, com direito a velório, choro e funerária envolvida.
É que o limite da paciência com essa cachorrada, já explodiu faz horas.


Silencia-se totalmente também, a respeito deste assunto, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que as vezes parece possuir um vácuo ocupando a principal cadeira.

Mas...
Para um Governo que prega no discurso o DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL e comemora no Facebook a instalação de uma TERMOELÉTRICA na cidade, nada mais me surpreende.







Da mesma forma, não vejo movimentação da Câmara de Vereadores no sentido de se apurar os responsáveis pelo impacto ambiental tremendo causado no Ecossistema Costeiros da Praia do Cassino, nem mesmo em relação ao impacto econômico na atividade da Pesca, onde há pelo menos três anos, a safra de Camarão vem encolhendo assustadoramente.
Pergunte a qualquer pescador desta cidade e ele lhe apontará o enorme estrago causado pela dragagem, como uma das causas deste problema.
Em qualquer lugar sério do mundo, pessoas sairiam algemadas de dentro da SUPRG e até mesmo dentro de Universidades, por omissão de dados, vistas grossas e conivência, afinal não se iludam: Destruíram com GRANDE parte da praia do Cassino nas próximas décadas.
A situação é bem mais séria do que se pode imaginar.




A pergunta que me ocorre é:
Em Rio Grande, o Poder paga pelo Estudo ou pelo Resultado do mesmo?


Há mesmo a necessidade de se fazer OUTRO estudo?
Mais e mais estudos?
Acompanhe a matéria abaixo e conclua.


O Gotas de Ácido foi atrás de quem entende do assunto e que, com uma linguagem SIMPLES e de fácil assimilação ao público leigo - ao contrário do artigo Prolixo, Excessivamente Técnico e com uma linguagem complicada e mentirosa, publicado recentemente na Imprensa Impressa local - torna fácil a compreensão daquilo que qualquer Pescador com 50 anos de profissão às margens do nosso litoral já sabe, e que cinicamente, a Superintendência do Porto de Rio Grande tenta esconder e tergiversar; a estupenda quantidade de Lama na Praia do Cassino, sobretudo nos últimos sete anos, deve-se à intensa Dragagem do Canal de Acesso, na tentativa desesperada de aumentar o calado e triplicar o movimento de carga nos terminais riograndinos.
Tudo se resume a NÚMEROS, cifras...
Depois, vem a balela do "Governo Popular contra os Poderosos"!


O Meio Ambiente, a Pesca e o Turismo que se danem!
Isso pouco importa ao Senhor DIRCEU LOPES, superintendente do Porto e Mestre em encomendar Estudos e dar entrevistas culpando o clima, a Lagoa dos Patos e a erosão. Tudo corroborado e endossado pelas maiores Mídias Televisivas, Alternativas e Impressas da cidade; um amontoado de mentirosos e omissos.
Eles lançam um Mar de Dúvida onde sabe-se, já se esta muito próximo de uma certeza. Não enxerga quem não quer.


Respondendo prontamente a um e-mail deste blog, o Professor LAURO CALLIARI do Instituto de Oceanografia da Fundação Universidade do Rio Grande foi direto:


"Prezado Eduardo, tenho uma opinião bem formada e firme. Vou te mandar algumas referências. Talvez sirvam de ajuda para reforçar tuas colocações bem como a da comunidade. Eu era um dos maiores defensores de que a deposição era natural. Entretanto depois de analisar detalhadamente as planilhas de dragagem e locais de disposição (despejo dos sedimentos da dragagem),bem como dados relativos ao grande impacto de 1998,anos seguintes e especialmente depois de 2005 MUDEI MEU PONTO DE VISTA. O problema é a dragagem!!!(mal feita!!! sob o ponto de vista ambiental)." 



Calliari ainda enviou ao Blog material do também professor Norton Gianuca, que igualmente compartilha da mesma certeza, baseado em estudos e pesquisas ao longo da última década.


Segue abaixo, o trabalho do Professor Lauro:




Perguntas pertinentes:


- Porque e para que, mais um ESTUDO?

- Quem paga por esses... Estudos encomendados?
- Quem pagará o Dano Ambiental?
- Em que momento a Sra. Miriam Balestro, secretária municipal do meio ambiente, irá se pronunciar?
- Quando a Imprensa de Rio Grande vai parar de procurar respostas para aquilo que já sabe?
- Quem será o novo Superintendente do Porto e o que ele irá fazer a respeito deste tema em 2015?
- Onde anda a Vergonha na Cara, nesta cidade?




Eduardo Bozzetti